Evolução dos Dados Econômicos no Brasil

No gráfico acima vemos o cenário do desemprego mediante dois critérios diferentes. O primeiro, de 1994 a 2001, foi feito com base no número de pessoas que procuravam trabalho e, o segundo, de 2002 a 2015, de acordo com a nova metodologia da Pesquisa Mensal de Emprego – PME, do IBGE. De 1994 a 2001 vemos inicialmente o desemprego diminuir em face da estabilização da moeda pelo Plano Real,  “devido ao aumento de demanda gerado pela drástica redução da taxa de crescimento dos preços, e passando a aumentar a partir dos efeitos da crise do México” (IPEA), em 1995. Este aumento de desemprego durou até 1998, Leia as noticias da época Leia as noticias da época Leia as noticias da época pois a economia encontrava-se muito instável, com sucessivas mudanças nas áreas cambial e de juros Leia as noticias da época.  Com a desvalorização do Real em 1999, e o acordo com o FMI, o País se acertou e o desemprego voltou a cair. Mas, a atividade econômica não reagia -2001 a 2003 foram anos de pouco crescimento- e o desemprego atingiu o seu máximo , de 12,36%. A partir daí, no entanto, Leia as noticias da época Leia as noticias da época o País entrou num ciclo de crescimento, ajudado pela bonança da Economia mundial e pelas políticas de crédito e incentivo ao consumo, criando um mercado interno de vigor Leia as noticias da época. Em 2014 o desemprego atingiu sua taxa mais baixa, mas encerrando um ciclo. Novas estratégias terão que ser tomadas pelo Governo para não perder o terreno conquistado, pois a taxa média de 2015 já passou a 6,9%, aproximando-se de 10% em 2016.